sexta-feira, 9 de junho de 2017

Cântico


Há perfumes que viciam a perceção destes dias.
Que me cheiram a felicidade.
E o verso inebria-se de futuro.
As palavras, vestidas de outros cantos,
creem-se possuídas de um mandato novo.
Do povo. E eu sou povo.
E sorvo os cheiros puros.
O das flores rebeldes que não devem ser colhidas.
Nem tolhidas.
Nem as pedras devem ser mudadas,
dos lugares da sua história.
Os rostos avivam-se da cor do rio e do mar.
O verde dos limos.
O verde das algas.
E de cheiros:
Dos barcos.
Dos Lusíadas que foram náufragos.
Dos poetas que se prometeram.
De mim. Que te canto. Porque me encanto.
E me solto. Numa lusitanidade que me perfuma o peito.

OF (Odete Ferreira) - 07-06-17

Obra de Júlio Pomar, Camões

13 comentários:

  1. Belíssimo poema.
    Um abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  2. Um excelente cântico.
    E bem lusitano, muito a propósito do 10 de Junho.
    Bom domingo e boa semana, amiga Odete.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Mais um bonito poema,este, com cheiro a Primavera... Beijinho para si e para o Hugo, que espero que esteja bem e crescido!

    ResponderEliminar
  4. Poetas nos chamamos, porque repartimos as palavras como se fossem cerejas...
    Belíssimo este teu poema, impregnado de cheiros e de gentes e de vida...
    Uma boa semana.
    Um beijo, Odete

    ResponderEliminar
  5. Uma maravilha, querida poetisa, uma maravilha!
    Dias agradabilíssimos e repletos de ternura.
    ~~~ Grande abraço ~~~

    ResponderEliminar
  6. Tu, com TODA a EXCELÊNCIA da tua Sensibilidade, Sabedoria, Arte. Comentários, para quê?
    Sem palavras...
    Grande abraço, querida Odete!

    ResponderEliminar
  7. ¿Quién sabe lo que siente el poeta cuando escribe? Si nos dejamos llevar por la inspiración y es algo más profundo que ni siquiera nosotros podemos calibrar, dentro de ese revoltijo de emociones que nos lleva a la escritura. El resultado son palabras que brotan de una emoción. Esto es un poema. Me descubro y pienso, sensibilidad y emoción. Bello. Ha sido un placer disfrutar de su lectura. Cordialmente. Franziska

    ResponderEliminar
  8. De mim que te canto e me solto para te dar um abraço.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Gostei de reler o teu excelente poema.
    Bom fim de semana, amiga Odete.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Odete , agradeço repartir conosco o belíssimo poema . Muita sensibilidade desta escritora amiga . Boa semana . Beijos

    ResponderEliminar
  11. Lindo, querida Odete, gostei muito, carregado de emoção.
    Um beijo, uma linda semana.

    Há perfumes que viciam a percepção destes dias.
    Que me cheiram a felicidade.
    E o verso inebria-se de futuro.

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde, admiro a sua sensibilidade revelada em cada palavra que constrói o belo poema, tem o seu perfume.
    AG

    ResponderEliminar
  13. Para começar, Júlio Pomar.
    Pois, antes e depois: sempre.

    Um canto é para se cantar e
    foi o que fiz.
    E, à medida que na luz o som
    das palavras se soltava
    tudo à volta se animava
    numa musicalidade vibrante.
    Recantei!

    Bj, Odete F.

    ResponderEliminar