sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Faz sentido falar de natal?


     Todo o tempo é diferente. Todo o espaço é diferente. Todos os lugares se veem diferentes. Como as pessoas. Nada de novo, portanto. Assim como o tempo, o espaço e os lugares que falam natal, encorpado da semântica, do significado, das circunstâncias, dos territórios em que é moldado. Como se fora uma veste talhada para um corpo. De preferência, seguindo as tendências da moda. O lado visual, atrativo, estilizado: um catálogo a ser vendido, após aturados estudos prospetivos. E quase tudo vai na mesma direção, num segmento previsível, terrivelmente sensabor. Após o enchimento dos olhos, quase piscos pelo excesso das luzes, sente-se o esvaziamento do balão, tocado por um presépio de musgo, timidamente colocado num cantinho da montra – global – entre a profusão de laços e laçarotes.
   Se assim é, faz sentido falar de natal? Invocar o natal? Escrever as cores de natal?
Sim, faz! Natal é mensagem e metáfora de humanidade: a sua alma, o seu imaginário (como um conto das mil e uma noites), a sua magia, o seu sonho, a sua fortaleza, o seu abrigo. Raiz e matriz. Sentido. Dádiva. Em si, para si e entre si. Um mandato do espírito, um mandato do amor. Um aviso aos homens de má vontade, num tempo em que se cultua o umbiguismo (e outros ismos), as reações timóticas, a frieza (e crueza) comunicacional das redes sociais, postergando os princípios, ancestralmente herdados, na conduta social, para uma segunda ou terceira vias – ou mesmo residual: o olho no olho, a mão na mão, a fala, como processos basilares de entendimento. E é disto que se trata nas falas de natal, na troca das Boas Festas. De respeito, de boa vontade. De humanidade.
   Consequentemente, não podemos deixar de alocar a frase feita: natal é quando o homem quiser. Então, que (re)nasçam homens e mulheres que sejam mensageiros de palavras e atos de verdade. E que seja esta a época inteira em que se renovam os votos, numa celebração milenar, nascedouro de homens de boa vontade. E que, neste ano de terra queimada, nos penitenciemos dos natais adiados e irremediavelmente perdidos, em todos os lugares, prometendo intermediarmo-nos com a única língua entendida por todos: o amor.
   Foi verde o nascimento do Menino. Só poderá ser verde o natal de todos os meninos.
   Honremo-lo! Agora e sempre!

Odete Costa Ferreira
Obra de Domingos Sequeira, acervo do Museu Nacional de Arte Antiga
Texto de opinião inédito (Contributo para a atividade proposta aos associados da Academia de Letras de Trás-os-Montes “Literatura de Natal”, publicado no blogue da ALTM e na página do FB)

A autora escreve segundo as regras do novo acordo ortográfico

17 comentários:

  1. Amigos e amigas: permanecem as razões indicadas para a minha ausência, na publicação anterior. Vou tentar ir a algumas páginas, antes do final do ano, o que não se me afigura fácil. O meu menino estará connosco no período natalício; depois será o seu 1º aniversário, dia 2 de janeiro. Celebrações em dobro...
    Com este texto, deixo os meus votos de Boas Festas!!!
    Bjinho, de carinho e amizade

    ResponderEliminar
  2. Apesar de todo o "folclore" que se faz à volta do Natal este ainda faz sentido minha amiga, gostei do seu texto.
    Um Santo e Feliz Natal com muita paz e saúde para a minha amiga e seus familiares. 🎄

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  3. Magnífico o texto que nos ofereces!
    Que este Natal seja bom e que o Novo Ano te traga todos os motivos de Esperança e muito Amor e muita Saúde, e muito bem-estar.
    Um beijo, minha Amiga.

    ResponderEliminar
  4. Querida Odete

    Gostei muito do teu texto, palavras belas e oportunas às mulheres e homens de boa vontade. Que a glória de sermos humanos, dotados de sentimentos e inteligência nos faça ver o melhor nos nossos semelhantes. Agora e sempre.

    BOM NATAL, minha amiga.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Venho desejar festas de fim de ano plenas de harmonia, ternura e muito amor.
    Beijinhos, querida Amiga.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  6. Tudo pelo melhor
    em família e outros amigos

    ResponderEliminar
  7. Concordo contigo, falar do Natal faz sentido.
    Magnífico texto, parabéns.
    Amiga Odete, os meus votos de um FELIZ NATAL e de um PRÓSPERO ANO de 2018 repleto de saúde, amor, paz, alegria e de outras coisas igualmente boas.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Querida Odete , seu texto é de intensidade e beleza indescritíveis.
    Só podemos agradecê-la .
    Meus votos de uma Natal abençoado junto dos seus que será ,certamente , alegre com o Ivo entre vocês . Beijos , amiga

    ResponderEliminar
  9. Odete,

    um texto muito belo e especialmentelúcido
    apreciei particularmente a tua valorização do Natal como expressão de "verdade", e nessa tua exortação aos homens e mulheres para que sejam mensageiros de palavras e atos de verdade

    beijo. minha amiga

    ResponderEliminar
  10. "especialmente lúcido", deve ler-se.

    ResponderEliminar
  11. Passando, vendo, lendo, gostando muito, anunciando:
    .
    Tema: *Geladas gotas na dor da separação*
    .
    E desejando:
    .
    Que o Ano Novo de 2018, entre na sua vida através da porta do coração, trazendo: Saúde, Fraternidade, Paz, Amor, Felicidade, gosto pela Partilha.
    FELIZ ANO NOVO

    ResponderEliminar
  12. Passando para lhe de deixar votos feliz Ano Novo.
    AG

    ResponderEliminar
  13. Querida Odete

    Este texto diz-me tudo o que queria ler e ouvir sobre o Natal, sobre a fé em nós, nos seres humanos, que apesar de todos os seus defeitos têm no seu recôndito muitas qualidades. É necessário que haja uma luz, um alerta que, de tempos a tempos, todos os anos, de vez em quando, nos acorde e nos diga que somos todos irmãos e que vale a pena dizer e repetir: Bom Natal! Bom Ano Novo!

    Muito obrigada pela tua bela escrita.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  14. Nossa, amiga, que texto belíssimo e
    sublime! ...
    Um privilégio esta leitura da tua arte literária,
    tu escreves de forma única e agradeço
    a oportunidade de ler-te sempre.
    Que tu tenhas passado o natal abençoado
    com este espírito verdadeiro da partilha
    do amor e as festas todas e agora pouco
    a festa de aniversário do teu Ivo. ..
    Beijos.

    ResponderEliminar
  15. Na passagem do ano só um amigo
    não apareceu para me dar um abraço...
    Você.

    Um beijo e bom ano novo.

    silvioafonso



    .

    ResponderEliminar
  16. Olá amiga!
    Hoje como estou evitando ficar digitando devido está melhorando da tendinite, para que ela não volte, estou passando para deixar o meu carinho e lhe desejar um fim de semana feliz, com muita saúde e paz.
    Deixo também esse pensamento que que uma amiga me enviou e nos leva a reflexão.
    “Semeei flores... colherá o perfume. Semeei o carinho... colherá a amizade. Semeei sorrisos... colherá a alegria. Semeei a verdade... colherá a confiança. Semeei a vida... colherá milagres. Semeei a fé... colherá a certeza. Semeei o amor... colherá a felicidade”
    Abraços da amiga Lourdes Duarte

    ResponderEliminar
  17. Magnifico texto, alusivo à quadra... que certamente terá sido passado em clima de grande felicidade, junto dos seus!...
    Andei um pouco ausente da Net, por esta altura do Natal... e ainda ando... enquanto a minha mãe estiver numa fase, entre duas pequenas intervenções... mas que tem de ser bastante vigiada, para evitar possíveis complicações cardíacas...
    Um beijinho grande! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderEliminar