terça-feira, 21 de agosto de 2018

Notícias d´Aqui

Não me defraudou o tradicional espectáculo piromusical levado a cabo no dia 10 de agosto, pelas 23 horas, impossibilitado que esteve (e bem) de abrilhantar as festas da cidade e de N. Sra do Amparo, no dia 4 de agosto, devido ao alerta vermelho emitido pela Autoridade Nacional de Proteção Civil para o território nacional. Superou, mesmo, as minhas expectativas, quer pela espectacularidade, quer pela fantástica moldura humana que se assenhoriou, literalmente, de todos os espaços da zona ribeirinha. Se dúvidas houvesse quanto à decisão de honrar o compromisso com a empresa contratada e de não privar os mirandelenses e todos os forasteiros deste evento, a presença massiva de pessoas na cidade sufragou-a, de forma expressiva.
Habituada que estou aos fantásticos eventos de fogo de artifício na minha cidade, já não é fácil surpreender-me. Aconteceu, contudo, este ano. Arrepiei-me em muitos momentos, sobretudo quando senti uma total sintonia entre a música e a coreografia do fogo, transportando-me a um patamar quase divino. Vendo, no dia seguinte, o direto que o canal NTv fez, a partir do Hotel D. Dinis, percebi esta sensação. O empresário apelidou e espetáculo de "Divinus". Pois bem, conseguiu-o! E, ao meu espanto sentido, acresceu o respeito pelas pessoas que sabem fazer bem.
Mas tive outros espantos, digamos, mais viscerais. Perante a excepcionalidade verificada sobre a localização do luna parque na zona verde,  confesso que a aspereza manifestada contra os vários decisores envolvidos, sobretudo contra a atual autarquia, por muitas pessoas que sabiam, de antemão, que o assunto seria fraturante, me tirou do sério. Aliás, sempre que se efetua uma requalificação na zona ribeirinha e, atualmente no espaço envolvente do santuário, a localização das diversões transforma-se numa bola de pingue-pongue. Diria mais: parece haver uma embirração, quase genética, contra estes equipamentos que fazem parte intrínseca das festas da cidade. São tão nobres quanto outros equipamentos e conteúdos festivos. Não se pode ter sol na eira e chuva no nabal. Requalifique-se, mas (re)pense-se o espaço público, as pessoas e a sua satisfação!
E que satisfeita me senti na revisitação das diversões! O Ivo teve a sua primeira experiência de condução nos carrinhos; eu e a mana, apossamo-nos de uns cavalinhos, no carrossel, onde se pavoneava um cobrador de rabo-de-cavalo postiço e chapéu à cowboy! Não escrevi um poema, pois há poemas que não consigo escrever. Basta vivê-los!
Tal como a famosa e peculiar noite dos bombos, evento que se constitui romaria de afetos, de sorrisos, de abraços, unindo os mirandelenses, independentemente de qualquer credo e condição humana.
O tempo avança, inexorável e não é curial apressá-lo, mas não deixo de me conceder um brilhozinho nos olhos ao pensar que, em breve, o meu Ivo fará parte desta história.

Odete Costa Ferreira,  14-08-2018



Ivo, 19 meses, na terra do pai e avós

Fotos do fogo de artifício : Hugo Reis

(Após um curto período de férias, penso regularizar as minhas visitas aos blogues)

8 comentários:

  1. Pelo que descreve fiquei com pena de nunca na vida ter assistido a um espetáculo assim.
    Gostei de ver as fotos. O pequeno príncipe parece que ainda há dias nasceu e já está tão crescido.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Descrever assim, com emoção, a festa da sua terra é um sinal salutar de pertença. Festa é festa e por aí é forte. As meninas foram ao carrocel e o rapaz, mesmo sem licença de condução...
    As maiores felicidades para os três.

    ResponderEliminar
  3. uma festa com fogo de artifício é espetáculo
    abraço

    ResponderEliminar
  4. Já tinha saudades tuas, Odete. Que bem que descreveste tudo o que se passou na festa da terra quer amas. O teu Ivo está grande e lindo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. "há poemas que não consigo escrever. Basta vivê-los!"
    uma bela síntese para tão bela crónica e seus oportunos "recados"

    bem vinda de novo, Odete.

    espero que continues a distinguir-me com a tua presença e teus comentários no meu blog.

    beijos, minha amiga

    ResponderEliminar
  6. Voltei de férias...
    Que grande e lindo está o teu Ivo!
    Gostei muito de te ler... uma descrição emotiva
    a que a beleza das fotos faz jus.
    Também estás fantástica, Amiga, parabéns.
    Fico feliz com os mirandeses...
    Abraço grande com beijinhos carinhosos para o Ivo.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  7. Fiz um voo aqui para a leitura e contactar com esta tua
    sensibilidade humana, repleta de talento poético e narrativo,
    que nos contagia com este belo astral de alegria, liberdade
    e harmonia familiar. O teu Ivo tá grande e pura fofura, beleza
    e meiguice...

    Pois é, minha amiga, tanto tempo neste elo de partilha de
    amizade e admiração poética e humana. Estamos as duas distantes
    dos espaços dos nossos blogs e hoje eu vim aqui te deixar um
    abraço repleto de amizade, com votos de felicidades, realizações,
    paz e harmonia para ti e os teus.

    Bjos, querida Odete.

    ResponderEliminar