segunda-feira, 8 de setembro de 2014

No céu da minha boca



Pintura de Isabel Alfarrobinha 

Na ubiquidade do teu ser laranja
sumo escorrido que sara feridas,
cinjo num olhar fugidio
múltiplas faces figurativas.
Tela fugaz, memória,
momentos de glória
no céu da minha boca.
Amorangados
alaranjados
acerejados,
tons pincelados
pela fúria de beijos.

No céu da minha boca
floresce um campo novo
sabores ainda no mosto
sumo de ondas de um sentir bravio
dissolvido na areia intumescida
espuma de espasmos que sinto
na maçã que trinco…

OF -  27-01-14 

20 comentários:

  1. Um poema todo ele sabores, aromas, e cor. E memória do sumo dos frutos e de beijos no palco do céu da boca. É o que dá trincar maçãs !...;-)
    Gostei muito, Odete, um poema luminoso.
    xx

    ResponderEliminar
  2. Um cesto de frutos, um naipe de aromas, uma coleção de sentimentos em forma de um belo poema.
    bj

    ResponderEliminar
  3. Tangível o céu da boca

    Belo e perfumado

    ResponderEliminar
  4. Você me proporcionou uma viagem pelo campo dos sabores, dentre os quais um que não se esquece, o do beijo de quem se ama. Há cores, vida, beleza... nesse céu da boca, que guarda lembranças, enquanto você morde a maçã. Amei. Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Poema perfumado e perfeito como o beijo . Gostei bastante , Odete . Agradeço a partilha . Beijos

    ResponderEliminar
  6. No Céu da Boca, o sabor
    Que a língua toma para si,
    Não é mais que o Amor
    Que com os meus olhos vi
    E que na Alma senti.



    Poema muito bem articulado com a imagem.
    Parabéns.



    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  7. Sabe à doçura de beijos frutados e ardentes, salgados e ternos, pintados com a ponta duma língua de mel.
    Soube-me bem. Gostei muito.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Deu pra sentir daqui, Odete, o sabor, cheiro e cor desse poema. Delícia!
    Beijuuss

    ResponderEliminar
  9. Um dia entrei com meu primeiro blog.
    Sem imaginar construia
    um cantinho onde viesse habitar estrelas e cometas.
    Na minha vida muita coisa mudou
    Desse dia
    em diante passei a ser Fonte de Amor.
    Nome dado ao meu primeiro habitar.
    Quanto mais o tempo passava
    amizades lindas fui encontrando.
    Outros habitar fui construindo
    até entrar com o blog que mais
    tarde eu daria nome ao meu primeiro livro.
    Agradeço a Deus por tamanha conquista.
    Hoje venho comemorar
    com você mesmo atrasada meu aniversário.
    A lembrança desse dia deixei na
    postagem coso gostar ofereço com muito carinho.
    Um abençoado final de semana.
    Paz ..amor..Evanir.
    Quanta doçura em seu poema minha querida.

    ResponderEliminar
  10. A vida é uma luta para que
    eu viva com coragem e consciência de minhas limitações,
    é preciso ter coragem para ser feliz!
    Não é nada fácil termos a coragem de nos atirarmos na luta
    todos os dias para tanto é preciso ter fé e esperança.
    A vida é um caminho a ser percorrido
    infinitamente único e sem atalhos.
    Quantos encontros e desencontros
    vivenciamos beleza risos ,
    mais também temos dificuldades.
    Um pensamento te deixo
    desejando um abençoado final de semana.
    beijos meus.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  11. Um poema de odores e sabores.
    E não só...
    Gostei muito, é excelente. Mas isso é o habitual, porque a tua poesia é uma expressão do teu enorme talento literário.
    Tem um bom domingo e uma boa semana.
    E um bom regresso às aulas...
    Beijo, querida amiga Odete.

    ResponderEliminar
  12. Muito lindo e de uma emoção muito grande.Que lindo passeio por este céu...
    O céu de sua boca....
    Bjsss

    ResponderEliminar
  13. Oi, Odete!
    Que poema flamejante!
    Paladar que aguça os sentidos, assim deveriam ser todos os beijos!
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderEliminar
  14. Querida Odete,

    Lindo e original este teu poema!!

    A memória do céu da boca guarda o aroma (sabor), o afeto num

    caminho próprio e radiante do prazer (viver), registrado pela tela

    do olhar que vai além...

    Eu adoro ler-te,amiga...

    Neste teu espaço, a poesia sempre encantadora!

    Uma semana radiante,querida.

    Bjos.

    ResponderEliminar
  15. Tentando portar-me bem, eis aqui no teu blog... lendo a tua poesia.
    Beijos muitos!

    ResponderEliminar
  16. OI ODETE!
    APENAS UM BEIJO, MAS, EM TUA ALMA POÉTICA ELE ADQUIRIU, CORES, SABORES, LUZES E TRINCOU MAÇÃS, AH OS POETAS...
    ODETE, LI VÁRIOS TEXTOS TEUS TENTANDO ENCONTRAR O QUE DISSESTE, QUE COMO O MEU, TEM COMO FUNDO O ESPELHO, MAS, ACHO QUE FAZ TEMPO QUE O DIVULGASTE ENTÃO NÃO SE ENCONTRA MAIS NA PÁGINA DE LEITURA, PENA.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Zilani! O texto que referi ainda não o divulguei, aliás como tantos que escrevo, quer em prosa, quer em poesia. Como já o tenho pronto (isto é, escrito no Word e com imagem), vai ser a próxima postagem; será uma espécie de "homenagem" ...
      Bjo, querida Zilani :) :)

      Eliminar
  17. Agradeço, amig@s, a vossa presença e os simpáticos comentários relativos ao poema. Souberam bem, acrescentaram sensações ao "céu da minha boca"...
    (Vou tentando manter visitas regulares aos vossos espaços; contudo, basta uma ausência um pouco mais longa, por este ou aquele motivo, para ser já mais difícil apanhar o comboio. )
    Bjos e momentos felizes :)

    ResponderEliminar
  18. OI ODETE!
    TAMBÉM VOU ESCREVENDO E POSTANDO AOS POUCOS, ASSIM QUE ESTOU NO AGUARDO DE TEU PRÓXIMO TEXTO, SABENDO DE ANTEMÃO QUE DEVE SER LINDO COMO É LUGAR COMUM NO QUE ESCREVES.
    ABRÇS AMIGA.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  19. Gostei de saborear a tua poesia solta em tons cores e sabores. Quase palpável!
    Bjuss. :)

    ResponderEliminar