quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

As raízes também morrem


 Na impossibilidade de teres rios
de águas puras, quando da pureza
tiveres que sugar a alvura dos lençóis de linho,
estendidos pelos longos anos da infância,
nos ribeirinhos de estreitas margens de silvas,
inocentes quanto os sonhos de menina,

trata os afluentes lodosos e espessos
mas não culpes as águas que os céus
despejaram na véspera do batismo.

Os rituais pertencem aos homens
e os caminhos de paz determinam-se nas nascentes.

Desapoquenta-te, pois, da foz
e constrói com as palavras dos versos
que te habitam, as represas estanques
dos ciscos que magoam o teu olhar.

Doutro modo, não passarás
de troncos roubados às árvores.
As raízes também morrem,
na espera do paraíso desejado.

Odete Costa Ferreira, 31-01-18

Arte de Josephine Wall
---------------------------------------------------------------------------------------

Entre passos, o olhar atento na descoberta do possível...
Ivo, em casa dos avós, 13 meses - 12-02-18




“Daqui a dez anos, renovarei os votos” – escrevi " Entre quem é", em 16-02-16, (http://portate-mal.blogspot.pt/2016/02/entre-quem-e.html) , aquando da entrada de uma nova década na minha vida. Renovei os votos o ano passado, com redobrado ânimo e felicidade. O meu netinho havia chegado há pouco mais de mês e meio. Este ano, além de renovar os votos com a década, assumo o compromisso de alinhavar, com muita leveza, os meus passos com os seus e com os que me acompanham, fazendo comigo o caminho, caminhando. Estou de parabéns. Pois claro!!!   - 17-02-18


(Amigos e amigas: continuo com muita falta de tempo mas, sempre que puder, irei aos vossos espaços. Grata, sempre, pela vossa presença.)

17 comentários:

  1. O pequeno Príncipe está lindo. E crescido. Gostei de ler o poema.
    Quanto ao link tentei duas vezes e obtive uma janela a dizer que não é possível neste momento.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Da nascente escorrem as águas cristalinas. beijos

    ResponderEliminar
  3. Os teus pés nos meus
    do ventre até à foz

    ResponderEliminar
  4. Estás, sim, de parabéns, querida amiga... Gostei de te ver e o Ivo
    está um encanto de bebé amoroso.
    Muito interessante o teu poema que disserta sobre raízes profundas.
    Ainda em recesso, passei para deixar um abraço.
    Beijinhos para ti e teu muito amado, Ivo.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  5. Querida Odete

    Muitos Parabéns. Votos de muitas Felicidades junto ao teu netinho, que está lindo, e de toda a Família.

    Gostei muito do teu poema, essa forma maravilhosa que tens, escrevendo com uma grande sensibilidade que vai direitinha ao coração.

    Não te preocupes com as.visitas, sim? Virei eu sempre que possível dizer-te um "olá" e embevecer-me com a tua escrita.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  6. O Ivo está lindo! Uma foto super amorosa!... Adorei vê-lo!
    Um bocadinho atrasados, aqui ficam os meus votos de muitos parabéns, com saúde, esperando que tenha passado esse dia tão especial, de uma forma muito feliz, na companhia dos seus!
    O poema... belíssimo... que implicitamente, refere a necessidade do nosso país, aproveitar da melhor forma possível, os seus recursos hídricos... antes que seja tarde demais... pois as raízes também morrem... esperando pelo tão ansiado paraíso... cada vez mais distante... com a mudança do clima... e da paisagem... que radicalmente se alterou nos incêndios, do ano passado...
    Deixando um beijinho, e os meus votos de um óptimo domingo, na companhia dos seus... e uma feliz semana, Odete!...
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderEliminar
  7. A Ana sabe da vida, do que é, ou não, importante, sabe tecer à sua volta uma corrente de afectos que a envolvem, e aos seus, projectando-os num futuro que se quer melhor, que se quer em harmonia com o que nos rodeia.
    (O Ivo está a ir muito bem, ó se está!)

    Um abraço :)

    ResponderEliminar
  8. "Os rituais pertencem aos homens
    e os caminhos de paz determinam-se nas nascentes"

    Odete, minha amiga

    centrais no teu belo poema os dois versos que transcrevo iluminam, de forma eloquente, o teor da "mensagem" que, na arca dos afectos, desenhas e guardas, rumo ao futuro!

    certamente um dia o teu encantador Ivo saberá decifrá-la e compreender quanto as raízes requerem a fortaleza dos diques, que determinam a direcção dos passos e vencem os ciscos e outros empecilhos que perturbam o olhar.

    desnecessário dizer-te quanto gostei deste teu poema de eleição

    caloroso abraço

    ResponderEliminar
  9. Que poema lindo, Odete!!
    "Os rituais pertencem aos homens
    e os caminhos de paz determinam-se nas nascentes."
    Estou grifando a mesma grife do amigo Manuel, mas é lindo demais e tão certeiro.
    O netinho está um moço! como cresce rápido... E gostei muito da tua foto ao lado, como são deliciosas essas recordações!
    Querida amiga, fico muito grata a você, viu?? Gostei de tê-la por aqui...
    Uma ótima semana, com lindas e fortes inspirações.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. O Ivo está lindo e crescido. O teu poema é muito belo. As raízes morrem se lhes afogarem a sede. Tal como os poetas...
    Uma boa semana, Odete.
    Parabéns e um beijo.

    ResponderEliminar
  11. Primeiro, parabéns pelo teu aniversário, querida amiga aquariana!
    Que tu tenhas tido um dia especial com a tua família e este
    fofo lindo do teu Ivo!...

    Um poema na excelência como de costume aqui, impressionante
    é a beleza da tua alma espelhada neste teu poema.
    Senti e vejo assim, o poema como um diálogo com o teu neto,
    no sábio percurso das palavras no rio da vida:
    "Os rituais pertencem aos homens
    e os caminhos de paz determinam-se nas nascentes."
    Belíssimo, a tua arte poética tem a assinatura da
    grandeza literária e a grandeza de alma (humana),
    sempre um privilégio ler-te, amiga.
    Beijinhos em ti e no fofo do Ivo!

    Ps: Adoro os teus comentários no meu espaço e
    sempre fico de coração grato com o valor
    das tuas palavras para mim, viu!...

    ResponderEliminar
  12. A tua maravilha na nascente do teu fantástico Ivo , e as raízes do teu poema de um profundidade onde não ouso mergulhar . Que flua o tempo, que as raízes segurem essa árvore que abrigue o futuro límpido desde pequenino tão lindo 😍, enorme !
    Beijo Odete
    😘😘😘

    ResponderEliminar
  13. Gostei muito de a ler. Também tenho um netinha, o Luca. Fez cinco anos no passado dia 22. São o brilho do nosso coração, não é?

    Um abraço

    ResponderEliminar
  14. Como andei um pouco ausente, só agora vim aqui visitar-te. E saio daqui encantado, não só com a excelência do poema como também com o teu neto, que já cresceu imenso e está lindo (sei bem o que representam os netos, porque tenho dois).
    Os meus parabéns, ainda que atrasadíssimos, pelo teu aniversário. Continua a caminhar assim, bonita por dentro e por fora, que vais bem... e sê muito feliz.
    Boa semana, amiga Odete.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  15. Bom dia, venho um pouco atrasado mas trago a sinceridade dos meus parabéns pelo seu lindo aniversario, desejo-lhe muita felicidade continua, o Ivo está um matulão.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderEliminar
  16. Querida Odete

    Por aqui, a fazer-te uma visitinha. Já sabes, como te prometi, virei periodicamente à espreita de novidades.
    Hoje, no dia que nos é atribuído mas que por rebeldia e de direito chamamos a nós todos os dias do ano, desejo-te a realização de tudo aquilo a que te proponhas.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  17. O poeta mais novo em casa da avó poetisa. Felicidades para a família.
    Bjs

    ResponderEliminar