sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Digo-me, em prece

  Elevo-te, serena, emborcando
a alma nas palavras que não se escrevem.

Como pespontos, a prece ponteia-se
de cuidados, tirando a medida aos dias.
Sempre gratos. Sempre vivos.
A respirar os versos atados nos olhos.

Basta-me o azul e o verde
para os pintar de cores invisíveis.

E que lindas ficam as minhas telas, dizem.

E eu acredito nos seus olhos.
Que não nas suas palavras.
Só eles penetram a invisibilidade.
Da prece, quase alma.
Murmúrio.
Sopro.
Chama.
De vida.
Da boca, sorriso.

Odete Costa Ferreira, 10-01-18
Arte de Amro Ashry

10 comentários:

  1. O testemunho do estado de deslumbramento,
    encanto e enlevo, em que vives.
    Mais um poema com beleza rara e especial
    a que nos habituaste. Traduz um amor e
    um carinho absolutos e infinitos.
    Beijinhos, querida Odete
    ~~~

    ResponderEliminar
  2. Querida Odete,

    Um poema muito belo, o percebo como uma dança
    no altar da tua essência, assim: "Digo-me, em Prece"...
    A imagem belíssima escolhida, a estética do poema, na
    leveza (em ponta na dança...) do eu poético, com a
    essência da alma dançarina, a respirar e exalar à
    vida no sentir pleno, belo e sublime!...
    Adoro ler-te!!
    Bjos, amiga.

    ResponderEliminar
  3. Gostei de ler, amiga.

    Elevo-te, serena, emborcando
    a alma nas palavras que não se escrevem.

    Muito bom.
    Abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Mais uma beleza de palavras, nem sei de qual verso gosto mais...É simplesmente lindo! Bom fim de semana beijinho

    ResponderEliminar
  5. Se respiras versos atados nos olhos, qualquer coisa que pintes será mágica, Odete. Parabéns pelo poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. poema muito belo, a "arder em prece"
    palavras bordadas a posponto sobre a pele dos dias

    gostei muito, Odete

    beijo, minha amiga

    ResponderEliminar
  7. Bom dia, a pintura torna-se magica quando criada em modo de poesia, na mesma, eleva-se a alma das palavras que não se escrevem.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderEliminar
  8. Querida Odete

    Feliz com a leitura deste teu belo poema. Até eu me sinto elevar através das tuas palavras. Uma sensação muito boa.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  9. Dizes-te e muito bem.
    Porque a excelência do poema é óbvia. Parabéns.
    Continuação de boa semana, amiga Odete.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Um poema sublime!... Pleno de cor, vida e paixão!
    Adorei cada palavra, Odete! Se me der licença, ficarei com ele debaixo de olho, para qualquer dia, o destacar lá no meu canto, com o respectivo link, para aqui, pois claro!...
    Beijinho! Continuação de uma óptima semana!
    Ana

    ResponderEliminar