segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Vida(s)


Obra de Anabela Faia 

Depositaste-o na minha mão
como quem entrega uma relíquia.
Passara a noite ao relento,
abrigado na folhagem ninho
da árvore que te enraíza à terra.
  
Já passara pelas geadas de dezembro.
Sentiu-se pleno pelo Natal,
ardente no fogo das lareiras,
apaziguado nos sorrisos de gente,
feliz nos doces gestos das crianças.
Ah! E aquele dia em que seria rei,
dono de reinos sem fronteiras.
Como o ansiava! Ofereciam-no
a torto e direito, por vezes de corpo inteiro.

Mas o teu há muito que sobrevivia.
Por partes. Em cada estação nascia.
Nas pegadas de neve do caminho,
nos canteiros de rosas apaixonadas,
nas searas ardentes de desejo,
nas folhas amarelecidas de desmaio.

Depositaste-o na minha mão.
Com a ternura de anos passados
no sonho que trazias sufocado.
Quando abriste o peito engaiolado
na minha mão confiaste o coração.

Apertei-o em contramão e dele fiz caminho.

OF – 14-01-15

22 comentários:

  1. Olá Odete,
    Coração tão vivido traz saberes como mais nenhum, merece ser bem acolhido, bem tratado e adorado.

    bj amg

    ResponderEliminar
  2. OI ODETE!
    QUANDO SE ENTREGA O CORAÇÃO A ALGUÉM, É PORQUE O AMOR SE FEZ PARA SEMPRE.
    AMIGA, LINDO DEMAIS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  3. A entrega é sublime é liga as pontes do nosso caminhar! abraços

    ResponderEliminar
  4. Um poema sobre duas vidas que se encontraram. Um coração, que depois de ter estado ao relento em estado de sobrevivência, te foi entregue nas mãos, onde acabou por sentir-se pleno nos gestos do dia a dia, liberto e aconchegado no calor de um lar onde o frio não entra, e os sonhos não são aprisionados.
    Muito bela a imagem de um coração como uma ave desengaiolada, e esse caminho em contramão que me parece ser o caminho da liberdade e do amor.
    Primoroso!
    xx

    ResponderEliminar
  5. Olá, poema repleto de amor, é um caminhar de coração alegre, quente e apaixonado.
    AG

    ResponderEliminar
  6. Há sempre um novo caminho quando alguém deposita o seu coração nas nossas mãos.
    Mais um brilhante poema, gostei imenso.
    Tem uma boa semana, querida amiga Odete.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. Cara Odete; excelente poema....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  8. Sobreviver por partes é o que se faz quando não se tem onde depositar o coração...

    Gostei muito do poema.

    Beijos, amiga :)

    ResponderEliminar
  9. Lindo poema amiga! Mais um né? Sempre me emociono quando leio-te.
    Beijuuss Odete

    ResponderEliminar
  10. Olá Odete!
    Que belo poema! Descreve um amor que sobreviveu ao rigor do frio do Inverno e no aconchego dos seus braços, lhe entrega o maior tesouro, o coração, acelerado como um pássaro assustado, mas logo se acalma no calor das suas mãos!
    Que bom, ler poesias como as suas!
    Beijos!

    VitorNani & Hang Gliding Paradise

    ResponderEliminar
  11. Como se fora ingénua e inocente criancinha reage a todos os estímulos e contingências que o rodeiam – quente e confortável quando acarinhado como Menino Jesus nas palhinhas, feliz e risonho com os gestos doces de outras crianças...
    Assim o recebi e acompanhei, sem hesitar.

    EXCELENTE poema, querida Odete.

    Óptimo fim de semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    PS - Vou caminhando lentamente -:((( Os "finalmentes" estão a ser mais difíceis do que o já feito... mas hão-de ter um fim.
    Vou interromper esta pausa para publicar um post (a título excepcional) no próximo dia 14.
    Até lá + 1 beijito

    ResponderEliminar
  12. Da Vida e do Coração só podemos querer Amor. Quando nos é entregue para guarda, sempre temos ums folhas e umas penas para o receber.
    Belíssimo, Odete.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  13. Odete , a entrega do coração a quem dele saberá cuidar é o encontro perfeito . Agradeço a partilha de tão belo poema . Beijos e ótimo final de semana .

    ResponderEliminar
  14. Querida amiga/Querido amigo
    O meu blog - A CASA DA MARIQUINHAS encontra-se temporariamente inactivo, a fim de que eu possa dispor de tempo para ultimar o meu segundo livro.
    A título excepcional publicarei um post no dia 14/02 para assinalar a passagem de mais um aniversário.
    Gostaria de contar com a tua presença, o que desde já agradeço.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  15. OLÁ ODETE
    Passando para conhecer o seu blog. E quando entro vejo esse texto delicioso.. Sem o amor as pontes seriam intermináveis, sem nunca conduzir ao objeto da ..... Estamos seguros e protegidos quando o Objeto de nosso amor é de longe Um abraço e um bom descanso de carnaval. Aguardo sua visita. Um abraço
    Ana

    ResponderEliminar
  16. Também vim conhecer teu blog, que a excelente escrita já conheço faz tempo.
    Deparo com um belo poema...virei mais por aqui agora que conheço o teu belo espaço. beijinho bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  17. Ser depositária de tanta doçura e beleza é algo maravilhoso, como é maravilhoso poder vir aqui, ler-te e sonhar.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  18. Muito bom o seu blog, estive a percorre-lo li alguma coisa, porque espero voltar mais algumas vezes, deu para perceber a sua dedicação em partilhar o seu saber.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante.
    E se gostar e desejar comente.
    Que Deus vos abençõe e guarde.
    António.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Passar a prova da geada é sinónimo de plena maturação. :)
    O que brota dessa alma pujante e viçosa toca-me sempre, Odete.

    Um beijo :)

    ResponderEliminar
  20. Olá, eu.

    Passei para lhe desejar, um dia de domingo agradável, e um tempo de Carnaval extraordinário.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  21. Agradeço a vossa presença, leitura e comentários.
    Em vós também deposito o meu coração...
    Bjo :)

    ResponderEliminar
  22. Que viagem, amiga! Com um coração em contramão pode ser perigosa, mas uma poetisa sabe contornar as palavras e seguir caminho. Valeu a pena!
    Beijinho, amiga.

    ResponderEliminar