terça-feira, 15 de novembro de 2011

De ti para ti

 Raros momentos
te esperam
do esvaziamento...
De ti.

Estão preenchidos
de pensamentos
alheios.
Não são de ti.

Preenches
os espaços
de objectos familiares.
São de ti.

Tomas
as pessoas
em rebates de desejos.
Não são de ti.

Acaricias
os objectos pessoais.
Sentem calafrios.
Mas são de ti.

Escolhe...
Almas que te querem...
Objectos que sentem,
e são de ti.
As almas partiram...
Não são de ti!
 
OF  23-08-2010
(Série "Esplanadas" , não incluídas no livro "Em Suspenso")
http://www.worldartfriends.com/pt/club/poesia/de-ti-para-ti 

Nota: este poema ainda não respeita o acordo ortográfico.

2 comentários:

  1. De ti para ti, gostei.:)
    Mas, as almas que partiram também são de ti.
    beijinhos, querida.

    ResponderEliminar
  2. :)
    Sei lá!!!
    Bjos, princesa :)

    ResponderEliminar