sábado, 14 de julho de 2012

Da derrota, faça-se vitória...


Tristezas não pagam dívidas – diz-se; mas quando a tristeza é dívida que se paga a um deus menor, será que a dívida não é tristeza legítima?
Estou triste. Não é um estado  mórbido, apenas o sentir de uma dor que partilho como se fora minha e a impotência perante um destino que se impôs como pedregulho ameaçador no caminho de um ser vivente, puro e doador.
É traição imerecida. É lágrima sempre latente, angústia presente, visível nos traços dos passos arrastados, levantando nuvens de pó que nos envolvem e tornam invisíveis ao nosso próprio olhar.
Quebramos os espelhos, mas os pedaços espalhados riem-se das imagens distorcidas que nos devolvem. Raiva, desespero, grito surdo. Blasfémia. Mutilação. Ausência. Vazio…
Virá a aceitação, a fotomontagem, a reconstrução. A força anímica. A regeneração. Um renascimento. De nós e do mundo que emolduramos, qual retrato retocado. E, em novo figurino, faremos o batismo de um novo ser. Mais rico, apesar de tudo.
E aí sim, seremos seres (ainda) mais especiais.
Amiga, este é o meu credo. Será também o teu. Sei-o porque não queres desiludir quem te ama! Solta as lágrimas. Faz do rio um grande sorriso!

Odete Ferreira 13-07-12  
http://www.worldartfriends.com/pt/club/prosa/da-derrota-fa%C3%A7a-se-vit%C3%B3ria#comment-167513 

11 comentários:

  1. Belissimo e comovente texto este seu.

    Como sei que fala de uma amiga a quem muito estimamos, permita-me que faça meu este testemunho.

    Um apertado abraço a ambas.

    ResponderEliminar
  2. Só me resta solidarizar nesse "rio sorriso". Que assim se faça!
    Beijuuss n.a.

    ResponderEliminar
  3. Querida Odete, tuas palavras chegam a mim, sempre no momento oportuno, na hora exacta, na perfeição do que fazia-se urgente que assim o fosse feito.

    A tristeza é como uma fase de luto que há de ser respeitado pelo tempo da chegada e da partida e o segredo consiste justamente ai nesse espaço entre o começo e o fim.

    E realmente nunca vi o que nasce de bom em meio a lágrimas de sofrimento, mas como tudo na vida é uma aprendizado para nossa maturação como seres evolutivos, aceito que na medida certa podemos desde que assim queiramos aceder a um novo tempo, uma nova vida e como tão bem dizes "um novo ser".

    Guardarei em especial esse pedacinho:

    "(...)Solta as lágrimas. Faz do rio um grande sorriso!(...)"

    Bem Haja minha Amiga tuas palavras, tua partilha generosa e olha que apetece-me ficar por aqui mais um bocadinho, tudo aqui faz-me bem ao coração e em especial as canções... Que canções belissimas!

    Um carinhoso abraço e tenhas uma bonita semana

    ResponderEliminar
  4. Ouvi-o pela tua voz, mas assim mesmo não me canso de o ler.
    Se mais bem não houvesse, teria havido o ter-te conhecido.
    Obrigada, amiga.
    (hoje, já não choro ao ler-te:))

    bji, querida

    ResponderEliminar
  5. P.S: fugiu-me o "corretor", tenho sono e agora, relendo o que escrevi, não gostei desse "mais bem".
    Ai, o meu rico "corretor" (com C grande!)

    bji, querida
    Nina

    ResponderEliminar
  6. Só me resta sentir a beleza das palavras que a mim causaram tanta emoção!

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  7. O sentimento que puseste nos deixa certamente de cara triste e dificilmente o sorriso assome ..só por imposiçao!
    Mais quando a impotencia vai crescendo e quando as resoluçoes nao teem fácil arranjo..espero pois que a tua amiga seja abençoada pela fortuna ,sorte!!
    Minha amiga deixo um abraço cálido e que vás tendo de vez em quando momentos de folga!Bom verao querida beijinho

    ResponderEliminar
  8. Queridas amigas: grata pela vossa presença e comentários sentidos.

    Contrariamente ao que me é habitual, entendo que nesta postagem não

    devo responder individualmente, embora o merecessem pela riqueza

    da mensagem que deixaram.

    Sou-vos muito grata... :)

    ResponderEliminar
  9. Estás bem na tua pele. Nada mais gratificante do que ajudar alguém: fazer das lágrimas, um rio de sorrisos.

    Bjuzz

    ResponderEliminar
  10. Bjo, querida amiga Teresa...

    ResponderEliminar