quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Clarice Lispector...

Clarice LISPECTOR

"Acho que devemos fazer coisa proibida - senão sufocamos. Mas sem sentimento de culpa e sim como aviso de que somos livres."
(Mais uma das frases da Clarice que a amiga Lília divulga e não resisto a postá-la no blogue. Uma personalidade feminina que venho descobrindo, aos poucos, só porque o ladrão mor, o tempo, me despoja dele.)

5 comentários:

  1. A nossa liberdade termina onde começa a de outrem...
    Será que teria piada, se pudéssemos ser tão livres?:)
    bji, querida

    ResponderEliminar
  2. Concordo... O que admiro na Clarice é o seu ousar de dizer, na época em que viveu...Depois, também desconheço em que contexto terá expresso este pensamento. Mas é profundo, este sentir...
    Bjuzz, menina livre na sua alma :)

    ResponderEliminar
  3. Estimada EU, aceite a minha humildade para dizer que sei que sou modesto demais para falar de mim e grandioso o suficiente para deixar qualquer um sem palavras.
    Posto isto e por obséquio, aceite esta minha poesia diálogo, expressamente dedicado a si.


    Coisas que uma mulher nunca disse

    Ela-sabes?
    Ele-o quê?
    Ela-se ela veio?
    Ele-o quê?
    Ela-se sabes se ela veio?
    Ele-não.
    Ela-não sabes ou não veio?
    Ele-não sei.
    Ela-também nunca sabes nada!
    Ele-não sei o quê?
    Ela-se ela veio.
    Ele-tu também não!
    Ela-não o quê?
    Ele-não sabes.
    Ela-não sei o quê?
    Ele-se ela veio.

    ResponderEliminar
  4. Meu caro senhor: permita-me que lhe diga que preferia a sua anterior identificação. É alguém do futuro, certamente...Tem um certo ar de louco (como os poetas, dizem). Ah, essa mania de querer baralhar com os opostos!
    Sim, essa poesia de nonsense adapta-se à EU, obg
    pela inspiração. Eu não seria capaz de tal proeza!
    :)

    ResponderEliminar